18.7 C
Porto Alegre
quinta-feira, setembro 16, 2021
InícioDrive - DicasNunca dirigi carro com câmbio automático. E agora?

Nunca dirigi carro com câmbio automático. E agora?

A princípio ele parece ser tão fácil e prático que basta um toque e o automóvel anda. Mas na vida real, um carro com câmbio automático pode ser um pepino daqueles se você nunca manuseou o câmbio ou nunca dirigiu um carro com esse tipo de sistema.

Apesar das muitas letras e instruções, operar um câmbio automático pode sim ser muito simples. Desde que você tenha o entendimento e cautela no aprendizado. Ele é mais prático e rápido que o câmbio manual, e como o próprio nome diz, automatiza todas as trocas de marcha sem a intervenção do motorista.

A preocupação principal no processo de quem dirige é apenas de acelerar, frear e guiar o volante.

Confira abaixo algumas dicas básicas para encarar o câmbio automático pela primeira vez e aproveitar as principais funcionalidades!

Identificando as letras

Todos os câmbios automáticos têm as chamadas posições universais, que são funções realizadas de acordo com a posição do câmbio. Elas são marcadas pelas letras P, R, N e D.

P – Vem de “parking”, que é estacionar. Usada quando o carro está parado e estacionado. Essa opção trava as rodas motrizes, simulando o que conhecemos como “deixar o carro engatado” quando desligado e estacionado.

D – Vem de “drive”, que é dirigir. É a opção usada para colocar o veículo em movimento.

R – Vem de “reverse”. É a marcha a ré.

N – Vem de “neutral”, que é neutro. É o famoso “ponto morto”.

L – Vem de “low” ou marcha baixa. Esta posição está na quase totalidade de automáticos e deve ser usada em arrancadas com veículo carregado, ladeiras íngremes e inclusive, nos câmbios automáticos modernos, informar ao câmbio que você necessita de reduções em descidas acentuadas.

Usando a posição D

Na maior parte do tempo, você usará o câmbio automático na posição D. É ela que faz o carro andar em qualquer velocidade. Ao colocar nessa posição, o carro começa a se movimentar assim que você tira o pé do freio e passa a ser regido pela força que o motorista coloca no acelerador.

É preciso cuidado para usar o D e não acelerar demais ou de menos, já que no câmbio manual a tendência é acelerar muito forte nas primeiras marchas e depois ir colocando menos força. O câmbio automático funciona mais ou menos como um câmbio manual de alta marcha.

Não freie com o pé esquerdo

Como no carro com câmbio automático não há peda de embreagem, um erro comum que os “novatos” cometem é usar a perna esquerda para frear. Não faça isso! A perna esquerda tem menos sensibilidade do que a direita, e como o costume é pisar até o fundo na embreagem, seu uso poderia acarretar numa frenagem brusca, que pode causar acidentes.

O ideal é deixar a perna esquerda descansando e frear com a direita, como nos carros manuais.

Entendendo o “kickdown”

Como o processo é mais suave que o câmbio manual, um carro com câmbio automático precisa de alguns sinais de que o motorista precisa de mais força no motor.

Quando você quiser mais potência numa ultrapassagem ou numa ladeira, basta manter o pedal do acelerador pressionado até o fundo por alguns instantes.

O câmbio entenderá que você precisa diminuir uma ou duas marchas, na manobra chamada “kickdown”. Para terminar, basta tirar o pé do fundo do acelerador.

Usar um câmbio automático pode ser bem prático em cidades e também em viagens mais longas. Agora é hora de colocar em prática e sair com o carro!

Facebook Comentários
- Advertisment -

cadastre-se

Cadastre-se GRATUITAMENTE e receba nossas notícias, dicas exclusivas e promos no seu e-mail.

MAIS POPULARES

- Advertisment -spot_img

TAGS

Facebook Comentários